Viver em Lisboa

Seu cão em Portugal: trâmites, dicas de pet hotel, veterinário, banho etc

18 de julho de 2017

Temos um labrador, o Schumacher, que embarcou conosco nesta aventura. Trazer um cão de grande porte (ele pesa 38 kg) é uma tarefa cheia de detalhes e, por isso, resolvemos dividir aqui no blog. Quando o animal é de pequeno porte (até 8 kg considerando o peso do animal e da caixa de transporte), ele pode vir na cabine do avião, bastando, portanto, seguir as exigências com relação a documentação necessária, sobre a qual falaremos a seguir:

Antes da viagem: Co a orientação de profissionais especializados no transporte de animais, a primeira coisa a que fizemos foi chipar o animal, um procedimento super simples feito por meio de uma injeção. Animais de companhia, por aqui, possuem, obrigatoriamente, um chip de identificação que o atrela ao histórico de vacinas. O número do chip integra um cadastro que contém, ainda todos os dados dos donos e permite, podendo ser uma ajuda valiosa, até mesmo, em caso de fuga ou perda.

Após o chip, foi necessário peoduzir a comprovação da vacinação antirrábica. . Como a raiva está erradicada na Europa, a UE é muito rigorosa com o procedimento de imunização do animal. É necessário dar a antirrábica, esperar pelo menos 30 dias e colher o sangue para o exame de sorologia, que indicará que o animal está bem e não tem a doença. É importante atentar para este prazo: o exame tem de ser realizado com uma amostra colhida pelo menos 30 dias após a data de vacinação e três meses antes da data da viagem. Ou seja, entre a data da coleta e o embarque do animal será necessário aguardar 90 dias.

No Brasil, o exame é feito apenas em São Paulo. Normalmente a clínica veterinária da sua cidade cuida do procedimento de recolha do sangue e envio pra lá. Hoje, não existe mais a quarentena no local de destino, atualmente com essa documentação ok, o animal chega no país de destino e já encontra os donos.

Como o nosso Schummy pesa mais dos 45 kg (considerando o peso dele e da caixa de transporte) ele é transportado como carga. Por isso, tivemos que contratar um despanchante especializado para cuidar do procedimento junto a companhia aérea. A TAP Cargo transporta animais, entretanto, não trata com pessoa física. O profissional é, portanto, indispensável. O despachante agenda o dia da viagem, pois tem limite por vôo para o transporte de animais, cuida da marcação do exame junto a autoridade competente (emissão do Certificado Veterinário Internacional – CVI) e acompanha tudo até a hora de despachar.

O animal não é sedado, uma vez que ele precisa estar em condições normais caso o voo passe por turbulências. Se estiver sedado é perigoso se machucar justamente por estar com o corpo mole e sem os reflexos necessários Essa, a explicação que nos foi passada.

➸ Links úteis:

A chegada: chegando em Portugal, também contratamos outra empresa especializada para tratar dos trâmites necessários e nos entregá-lo em casa. O desembaraço é feito no aeroporto com o órgão responsável. Para que não haja nenhum problema, o ideal é que os despachantes mantenham contato, sobre o cumprimento das exigências. No nosso caso, fizeram um check list para garantir o embarque e desembarque com segurança.

Nosso labrador, diferente do Marley, é super tranquilo e já havia viajado de avião e de carro. O processo foi muito, assim, tranquilo: ele fica mesmo super calmo. Claro que existe o desconforto de ficar na caixa, de não fazer as necessidades (apesar do tapete higiênico que é obrigatório na caixa de transporte, mas nosso cão não faz nada no espaço onde fica) e não ter a comida no horário certo. Mas isso foi um dia; no outro, a vida já voltou ao normal! Deixamos ele aliviar bem antes de despachá-lo, demos comida e passeamos bastante, já que ele tem que ser despachado 4 horas antes do horário do voo.

Sobre o transporte, a palavra de ordem é planejamento (cronológico e financeiro). Sim, fazer tudo com muita antecedência, informar-se, pesquisar e, claro, contratar um profissional recomendado. Além disso, dentro da UE, os países tem exigências específicas e mesmo restrições a raças potencialmente perigosas e seus cruzamentos. (Portugal restringe a entrada de Fila brasileiro, Dogue argentino, Pit Bull Terrier, American Staffordshire Terrier, Tosa Inu, Tottweiller e Staffordshire Bull Terrier).

Transporte de cão para Portugal

Clínica Veterinária: Vencida esta etapa e já em solo português, desde que viemos pra cá, ele sempre tem as consultas na Clínica Elsa Perereira. Gostamos muito do atendimento e da qualidade e seriedade no serviço prestado. Solicitamos junto à clínica o Passaporte Europeu (sim amigos, é mais fácil para eles do que pra gente! Kkkkkk) e nele ficam todas as informações necessárias sobre o animal, tais como dados dos donos, número do chip, vacinas, etc.

A vacina de Leishmaniose do Brasil não é eficaz pra cá, pois o mosquito que transmite é outro. Portanto, chegando em Portugal é necessário se informar. Eles fazem o teste e aplicam a vacina, que agora é dose única. Fique atento a isso, pois existe o período certo do mosquito e da prevenção.

Transporte de cão para Portugal

Banho: como já falamos em outros posts, a prestação de serviços na Europa, de maneira geral, é cara! Por isso o banho custa caro! No nosso cão, que é grande, os preços podem chegar a 35 euros! Portanto, sendo bem sinceros, esqueça aquela coisa de banhos semanais! Uma boa opção que descobrimos foi o Banho ao Bicho. Eles oferecem o spa, que é nosso banho normal no pet shop brasileiro, o serviço de tosquiar, para cães que precisam e o self service, que consiste nos próprios donos darem o banho. Eles oferecem o espaço, produtos e você coloca a mão na massa! Esta opção é mais em conta! Pagamos 18€.

Pet Hotel: Quando queremos viajar deixamos no Pet Hotel do Jardim Zoológico de Lisboa. Diferente do Brasil, não há muita oferta de hotéis para cães, sendo este o único dentro da cidade (há outros na grande Lisboa). A vantagem deste é que dá pra ir de metrô tranquilamente (sim, cães são permitidos no metrô). O serviço é ótimo e as diárias podem incluir ração ou não, o que também facilita muito a vida! Nosso Schummy adora ficar lá!

Pet Hotel Lisboa

Pet Hotel Lisboa

Pet Hotel Lisboa

Outras informações: os portugueses adoram cães! Foi muito bacana a adaptação do nosso aqui, pois sempre recebe “festinhas” (eles chamam assim fazer um carinho) na rua. Além disso, vem crescendo os espaços próprios em alguns jardins para que os animais brinquem soltos e convivam (Jardim de Campo Grande e outros). Sobre a ração, existem muitas lojas que vendem, mas até hoje, conseguimos o melhor preço da Royal Canin na Pet Outlet, que tem várias lojas na cidade e a também a opção de compra online com entrega.

Bem, é que é isso! O post ficou longo, mas procuramos falar de tudo, pois até chegarmos nesse nível de conhecimento, demos algumas cabeçadas! Caso você tenha outras dúvidas, pode perguntar sem o menor problema que estamos aqui para ajudar!

Fotos: O Inverso de Cabral