Onde ficar

Onde vivemos: Alvalade

1 de Fevereiro de 2018

Falar de Alvalade é de uma responsabilidade imensa, afinal é o nosso bairro. Não só fomos escolhidos por ele como também fomos bem recebidos e acolhidos. Isso resulta num amor tão grande, daqueles que nos fazem dizer (assim como toda a gente que ama o seu): é o melhor bairro do mundo!

Mas, deixando um pouco o sentimentalismo de lado, vamos falar da praticidade. Estação de metrô (linha verde – estação Alvalade), linhas de autocarros, comércio local que atende a todas as necessidades (supermercados, talhos/açougues, restaurantes, padarias, pastelarias, mercado, farmácias, lojas, bancos, salões de beleza, dentre outros), perto do Jardim do Campo Grande, falamos dele aqui), da Cidade Universitária e com calçadas amplas e largas. Além disso, o bairro fica muito próximo do Aeroporto de Lisboa, o que proporciona não só a facilidade (menos de 10 minutos de carro) bem como a visão dos aviões pousando ou decolando.

A Avenida de Roma é a principal, onde fica a estátua do Santo Antônio, que parece abençoar a todos. Nesta rotunda (rotatória), há o cruzamento com a Avenida da Igreja, sem dúvida a mais charmosa, com lojas, pastelarias e restaurantes. No final dela, como o próprio nome indica, fica a igreja São João de Brito.

Ao lado da igreja há os Doces de Santa Clara, que oferece o que há de melhor na doçaria conventual (prove os travesseiros de Santa Clara, são divinos!).

Na Rua Rio de Janeiro está o Mercado de Alvalade,  ideal para a compra de peixes, mariscos, frutas, verduras, especiarias, queijos e pães. Extremamente acolhedor, proporciona ótimas compras e amizade com os donos das bancas.

Dentro dele há ainda um supermercado da rede Lidl e ao lado entrada principal a Cervejaria Sem Palavras, um dos nossos preferidos! Os mariscos são deliciosos, bem como o prego (pão e bife de vaca com bastante alho – ele nem está no cardápio, mas é famoso!), tudo regado a imperial Sagres sempre gelada!

Outra tasca que merece destaque é a Sem Nome, falamos dela aqui. Há opções saborosas e a preços ótimos na ementa do dia. Vale a pena!

Em frente a entrada traseira do Mercado há ainda uma praça com espaço para crianças

A Maria Granel, como o próprio nome indica vende produtos como frutos secos, temperos, grãos a granel e também produtos bio. As charcutarias (espécie de mercearias) vendem frutas, vinhos, presuntos e dão cor e charme ao bairro. Não podemos deixar de falar dos estabelecimentos que vendem frango na churrasqueira, como a Rio de Mel (maravilhoso!) e a Grelha do Manel, ambos convivem lado a lado e salvam a pátria no almoço de domingo! Pastelarias históricas e as mais recentes dividem a clientela fiel. Nós já escolhemos a nossa!

Charcutaria Riviera, quase 60 anos de existência.

As flores do Senhor Abílio enfeitam a avenida da Igreja e a simpatia dele é contagiante! Há também lojas destinadas a produtos para casa, como a tradicional Vista Alegre e a Viva, onde se encontra ótimos achados a preços excelentes!

Fotos: O Inverso de Cabral

  • Cristianne Damasceno30 de julho de 2018 às 19:02

    Boa noite,
    Sou brasileira e advogada, pretendo iniciar o mestrado na Universidade de Lisboa e gostaria de lhe fazer umas perguntas.
    As aulas são todos os dias da semana, pois não entendi muito bem essa informação no site da universidade? Se eu quiser trabalhar e fazer o mestrado, é possível conciliar? Ou o mestrado é pesado demais para isso?
    Grata e parabéns pelo blog, amei!
    Cristianne Damasceno.

    • Oinversodecabral2 de agosto de 2018 às 08:02

      Olá Cristianne, quando fizemos as nossas aulas eram 3 vezes na semana, algumas na parte da manhã, outras na parte da tarde. Eram aulas com 2 horas de duração. Quanto a trabalhar é possível conciliar sim, o mestrado, embora o nível de exigência seja alto, não é tão pesado. Boa sorte!