Outras cidades

Alcobaça

17 de agosto de 2017

Certamente você já ouviu a expressão “agora Inês é morta”. Pois bem, ela vem do episódio no qual D. Pedro I (não é o D. Pedro da história brasileira), após capturar e matar os assassinos de sua amada Inês de Castro, quando um deles pede clemência antes de ser executado.

A história de amor dos dois é linda, mas infelizmente  não terminou bem, pois o pai de D. Pedro, o Rei D. Afonso IV, que era contra o romance, mandou executar Inês, em 1355. Isso causou a discórdia entre pai e filho e dois anos depois, D. Pedro I assume e trono e logo mandou coroar Inês de Castro com o título de Rainha póstuma.

Os túmulos dos dois estão no Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, que é maravilhoso! Ele fica a cerca de 1 hora e meia de Lisboa (mapa) e faz parte dos quatro mosteiros portugueses classificados como Patrimônio da Humanidade.  Os outros três são o Convento de Cristo, em Tomar (falamos dele aqui), o Mosteiro de Batalha e Mosteiro dos Jerónimos.

➸ Os bilhetes custaram 6€ por pessoa. Há opção de bilhetes que permitem a visitação nos três mosteiros (Tomar, Alcobaça e Batalha) por 15€ com validade de 7 dias. A entrada na igreja, onde estão os túmulos de D. Padro I e D. Inês de Castro tem acesso gratuito.

Já passamos por lá algumas vezes e sempre fomos de carro, mas há autocarro/ônibus por 11,50€ cada trecho (consulte aqui).

Mosteiro de Alcobaça

Os jardins do mosteiro

 

Mosteiro de Alcobaça

O túmulo de Inês foi colocado no Mosteiro de Alcobaça, onde também está o de D. Pedro, que pediu que ambos fossem colocados de frente um para o outro.

Mosteiro de Alcobaça. Túmulo Inês de Castro

D. Pedro I morreu em 1367 e seu túmulo narra a vida do seu santo protetor, São Bartolomeu. Há a representação da Roda Vida, que simboliza sua história e seu amor por Inês.

Mosteiro de Alcobaça. Túmulo D. Pedro I.

Fotos: O Inverso de Cabral