Onde ficar

Lisboa por áreas: Chiado, Baixa, Rossio, Marquês de Pombal e Avenida da Liberdade

22 de Março de 2017

Talvez seja a primeira pergunta que todos os amigos e conhecidos nos façam.

Bom, indicar hotel é algo complicado, pois depende do quanto a pessoa está disposta a gastar, do nível de exigência com o serviço prestado, se gosta e pode andar a pé, se prefere andar de carro. Além disso, há a explosão do conceito hostel e dos apartamentos de aluguel para temporada, que abriram o leque de opções.

Enfim, é algo tão pessoal, que preferimos, então, linkar na barra lateral do nosso blog (a versão tablet/telefone não contempla essa barrinha) os principais sites de busca de hotéis, hostels e apartamentos, de forma que cada um procura o que deseja, dentro do seu orçamento.

Preferimos, portanto, fazer um apanhado geral das zonas/bairros de Lisboa, indicando o acesso a meios de transporte público e o que cada lugar oferece, tais como lojas, cafés, restaurantes, bares etc. Achamos que, dessa forma, você se situa na cidade e fica com o maior número de informações possíveis, antes de fazer sua reserva.

Para o post não ficar muito grande, dividimos por partes e hoje falaremos dos seguintes lugares:

Chiado: na nossa visão, é meio que o coração de Lisboa. Fica perto de vários outros bairros importantes. É aquela carta curinga no baralho, pois lá existem lojas, restaurantes, bares, cafés e lugares para visitar, tudo para todo gosto e todo bolso. É turístico e, por isso, sempre cheio (pode mesmo ficar lotado). Entretanto isso não é sinônimo de ser má opção para se hospedar. De novo, depende do que você gosta ou não!
O acesso ao transporte público é ótimo (metro, elétrico e pontos de taxi). No Chiado, é possível fazer vários passeios a pé, uma vez que está muito perto de pontos importantes, como o Elevador Santa Justa e do Convento do Carmo. Além disso, o Bairro Alto, conhecido por bares e restaurantes animados a noite, fica ali ao lado.

A rua mais famosa do Chiado é a Garrett. Logo no início dela temos o “Café A Brasileira”, famoso pela estátua do poeta Fernando Pessoa, onde todos param para tirar uma foto ao lado. A livraria Bertrand, reconhecida pelo Guinness como a livraria a mais antiga do mundo, pois funciona desde 1732!  No final dela, quando cruza com a Rua do Carmo tem os Armazéns do Chiado, que é um shopping e mais lojas! Prepara o cartão!!!

Baixa: é como se fosse o centro de uma das nossas cidades aí no Brasil. Tem muito comércio, principalmente de souvenirs, outras grandes lojas, restaurantes e cafés. A Rua Augusta e a Rua da Prata desaguam na lindíssima Praça do Comércio, a maior praça e um dos principais pontos de visita na cidade.
O acesso ao transporte público é ótimo (metro, elétrico e ônibus – aqui, autocarro).
Fica muito perto do Rio Tejo, da estação Cais do Sodré (onde pegam as barcas para atravessar o rio ou o comboio/trem para Cascais e Sintra). Partindo da Baixa, é possível e recomendável conhecer vários lugares andando.

Rua Augusta

Rossio: Seguindo pela Rua Augusta (na direção oposta à Praça do Comércio), chega-se ao Rossio, bairro tradicionalíssimo que abriga duas grandes praças. Na Praça da Figueira, pode-se ter uma das vistas mais interessantes do Castelo de São Jorge, comer um doce ou salgado na clássica Confeitaria Nacional e ter a experiência de caminhar pela Rua da Betesga, que tem, aproximadamente, 25 metros de comprimento.
Aqui, os transportes públicos também são vastos (os mesmos que servem Chiado e Baixa). Certamente, a Estação de Comboios do Rossio não irá passar despercebida pelo turista. É um lindo e imponente prédio. Lojas, opções de estadia e restaurantes são muitos.

Rossio

 

 

Rossio

Marquês de Pombal e Avenida da Liberdade: essa área é próxima ao Parque Eduardo VII (um dos locais de onde saem os ônibus de sightseeing) e a Avenida da Liberdade, famosa pelas lojas grifadas. Trata-se de uma região com uma boa quantidade de hotéis, inclusive o estrelado Ritz é nela, mas claro, existem outros com preços melhores.
O acesso ao transporte público é ótimo (metro e autocarro).
Sobre programas a pé, também é possível, pois descendo a Avenida da Liberdade você chega nos três bairros citados acima e pode, no lado direito, subir pelo Elevador da Glória até o Miradouro (mirante) São Pedro de Alcântara. Depende mesmo da sua disposição para andar.
As opções de restaurantes no entorno são menores do que os bairros mencionados, mas há cafés. O comércio é menor, devido a proximidade com a Avenida da Liberdade e o Rossio.

Marquês de Pombal

Avenida da Liberdade

Avenida da Liberdade

Fotos: O Inverso de Cabral

 

  • Dulce22 de Março de 2017 às 21:19

    Renata e Love, parabéns!!!! Divulgando o blog de vcs. Aqui vc fala da praça Figueira. O avô dos meus filhos, nasceu em Figueira da Foz, e o sobrenome dele é Figueira.

    • Renata Nogueira23 de Março de 2017 às 13:55

      Obrigada Dulce! Louca para conhecer Figueira da Foz, já nos falaram que a praia é muito boa! Assim que o verão chegar pretendemos dar um pulo lá! Beijos!!!!

  • Silvia23 de Março de 2017 às 22:46

    Renata, obrigada por essa iniciativa de fazer um blogueira com os passeios lindos q vejo no Snapchat/Instagram. Estou me apaixonando por Portugal por causa de vcs Bjo

    • Renata Nogueira24 de Março de 2017 às 13:22

      Oi Silvia, obrigada! Fico muito feliz em saber! Portugal é mesmo apaixonante! Bjs!

  • Carolina Ro27 de Março de 2017 às 09:45

    Eu conheci só a parte mais turística, mas morro de vontade de voltar para conhecer outras partes.
    bjs

    • Renata Nogueira27 de Março de 2017 às 15:15

      Quando você vier marcamos de encontrar num lugar bem legal!