Passeios

Ginjinha: com ou sem elas?

4 de Maio de 2017

Sempre que vamos ao centro de Lisboa, aproveitamos para beber uma “ginjinha sem elas”. Trata-se de uma bebida muito típica de Portugal, obtida a partir da maceração da ginja, uma frutinha parecida com a cereja. É um licor forte, mas delicioso, servido em copinhos, com ou sem as frutas.

Ginjinha

Em Lisboa, a Ginjinha do Largo de São Domingos foi o primeiro estabelecimento (1840) a comercializar a bebida. É uma pequena porta que, não fosse o burburinho e a fila, poderia passar despercebida. Fica no Rossio, muito próximo da Praça D. Pedro IV, da estação de Comboios do Rossio, da Av. da Liberdade e da Baixa. Ou seja, em algum momento, você estará perto desse ponto importante para o comércio e as tradições da cidade. Do lado direito, há uma placa que conta a história da curiosa (e dizem, verdadeira) origem da bebida.

Ginjinha

Ginjinha

Ginjinha

Do lado esquerdo, fica a igualmente tradicional chapelaria Azevedo, fundada em 24 de dezembro de 1886, digna de uma visita, ainda que você não seja adepto de chapéus. A Praça D. Pedro IV oferece uma vista diferente (e especial) do Elevador de Santa Justa e das Ruínas do Convento do Carmo. Portanto, mesmo que não seja para experimentar uma bebida típica e tradicional, sobram motivos para visitar a Ginjinha Espinheira no Largo de São Domingos, que leva o nome da magnífica e histórica igreja barroca (ali ao lado), parcialmente destruída por um incêndio em 1959. Enfim, um passeio e tanto!

A ginjinha também é uma bebida muito típica em Alcobaça e em Óbidos, onde é (ou pode ser) servida em copos de chocolate. Voltando ao início, é costume servir a Ginjinha com uma fruta curtida no fundo do copo, “com elas”, ou pura, “sem elas”. A dose custa 1,40€.

➸ Largo São Domingos 8 – Rossio (mapa).

Ginjinha

Fotos: O Inverso de Cabral