Outras cidades

Coimbra, a cidade dos estudantes

11 de junho de 2018

Coimbra, a mais antiga capital do país, fica no centro de Portugal, à beira do Rio Mondego. É quase toda construída e vivida a volta da histórica Universidade de Coimbra, que marca a academia lusitana nos últimos sete séculos. Construída no local de um antigo palácio, a Universidade é conhecida pela exigência e pela excelência no ensino. A Faculdade de Direito, passeio imperdível (veja abaixo), impressiona pela Biblioteca Joanina e por sua imponente torre do sino, do século XVIII. A cidade velha abriga atrações como a Sé Velha, catedral românica do século XII.

Canta o fadista: “Coimbra, quem não te ama não vive“. A cidade é, de fato, uma visita rica em conhecimento científico, em história, cultura e até misticismo. Deixe-se perder pelos becos e vielas medievais. Também é daqueles passeios que podem ser feitos em um dia ou com mais calma. Por ser cidade tipicamente acadêmica, é repleta de bares e jovens, mas que pode estar vazia em períodos de férias escolares. Programe-se e bom passeio!

➸ Como chegar: de comboio, partindo de Lisboa é possível chegar com cerca de 2 horas de viagem (vai depender do horário), portanto, é bem possível fazer como uma opção de “bate e volta”. Consulte horários e preços das passagens aqui. De autocarro também são cerca de duas horas de viagem e pode ser mais em conta do que a ida de trem. Consulte os horários e valores aqui.

Visitamos a Universidade de Coimbra, uma das mais tradicionais e antigas da Europa. O passeio, que custou 12€, é grande e vale a pena ir com tempo. Incluiu a visita ao Paço Real (Salas dos Capelos, Exame Privado e Armas), à Capela de São Miguel, à Biblioteca Joanina (Piso Nobre, Piso Intermédio e Prisão Acadêmica), ao Colégio de Jesus – Galeria de Física Experimental (Sécs. XVIII e XIX) e à Galeria de História Natural (Séc. XVIII). Saiba mais sobre as visitas aqui.

Roteiro Coimbra

Roteiro Coimbra

Roteiro Coimbra

O salão principal da Biblioteca Joanina não pode ser fotografado. Acredite, é de uma beleza encantadora! Abaixo foto da parte permitida. No mesmo prédio, fica ainda a prisão acadêmica.

Roteiro Coimbra

Roteiro Coimbra. Biblioteca Joanina

Capela de São Miguel

Roteiro Coimbra

A visita ao Museu de Ciências Naturais é guiada e antecedida de uma rica palestra sobre a importância dos instrumentos ali exibidos e dos respectivos avanços alcançados para a vida moderna.

Roteiro Coimbra. Passeio pela Universidade de Coimbra

Outro passeio de fizemos foi a Quinta das Lágrimas, lugar onde a amada de D. Pedro, Inês de Castro, foi assassinada a mando do pai dele. Para quem visitou o Mosteiro de Alcobaça (falamos dele aqui) é uma complementação da história de amor mais famosa de Portugal. Em Alcobaça estão os túmulos do casal.

Atualmente, na Quinta das Lágrimas funciona um hotel de luxo. Todavia, o passeio pode ser feito por qualquer pessoa, mesmo que não hóspede do hotel. Custa 3€ por pessoa.

➸ Rua José Vilarinho Raposo, 1 (mapa).

Roteiro Coimbra

Por ser um local de uma história de amor, os namorados amarram fitas vermelhas nas árvores em volta. Dizem também que D. Pedro enviava cartas para Inês por meio de um canal construído para levar a água de duas nascentes para o Convento de Santa Clara, onde D. Inês ficou por um tempo. Ele as colocava dentro de barquinhos de madeira para chegarem a salvo até o Convento.

Roteiro Coimbra

O local onde Inês foi assassinada ganhou o nome de Fonte das Lágrimas, em virtude das lágrimas derramadas por ela antes de morrer.

Roteiro Coimbra

O episódio foi retratado por Camões em Os Lusíadas.

Roteiro Coimbra

Roteiro Coimbra

Reza a lenda que as algas ficaram vermelhas devido ao sangue de Inês.

Roteiro Coimbra. Quinta das Lágrimas

Fotos: O Inverso de Cabral

➸ Onde ficamos: passamos uma noite no simpaticíssimo Five Senses Hostel. Além de acomodações de muito com gosto e confortáveis, fica perto da Rodoviária (Paragem de Autocarros), da Estação de Trem Coimbra B e razoavelmente próximo do centro histórico da cidade. Uma grande vantagem: tem café da manhã e o banheiro não é compartilhado 😉