Transporte

Carsharing

19 de setembro de 2018

Trânsito cada vez mais pesado e poluição são algumas das motivações para o surgimento de uma nova forma de se locomover em Lisboa: o carsharing, ou, em bom português, carros compartilhados. Trata-se de uma boa opção para percorrer pequenas distâncias, principalmente em regiões onde o estacionamento (vagas) não é um problema.

Atualmente, duas empresas dominam a atividade na cidade: a DriveNow e a Emov. Para os adeptos das duas rodas, existe também a eCooltra, scooters compartilhadas.

O sistema de todas é basicamente o mesmo: você baixa o aplicativo e realiza o registro. Nessa etapa, fornecerá sua documentação e um cartão de crédito para cobrança. A operação é simples: você localiza o veículo mais próximo, faz uma reserva (normalmente de 15 ou 20 minutos) e utiliza pelo tempo necessário segundo as normas de cada operadora.

Os preços incluem todas as despesas, tais como combustível, seguros (mas, atenção, há franquia) e estacionamento. Isso é possível porque as empresas possuem convênios com a EMEL (responsável por fiscalizar a utilização de vagas), de forma que o cliente, sem se preocupar com a tarifa dos parquímetros, pode estacionar o carro em qualquer local dentro da área de cobertura, desde que permitido.

Todas as empresas oferecem minutos de bônus para a primeira utilização. A DriveNow possui uma frota de 200 BMWs e MINIs elétricos e convencionais. O minuto de uso custa 0,29€. O carros não possuem chave e são acionados pela senha pessoal do usuário. Já a Emov conta com 150 carros, todos exclusivamente elétricos da marca Citroën, com chaves que ficam guardadas no porta luvas. O minuto sai a 0,21€. Para ter acesso ao veículo o próprio aplicativo desbloqueia, abre e tranca o carro, ou seja, tudo muito moderno!

A desvantagem fica por conta da área de cobertura, que é restrita. Não dá, por exemplo, para dar um pulo nas praias da Costa da Caparica ou mesmo da linha de Cascais. Isso não é possível porque as empresas limitam a área de operação ao concelho de Lisboa. Você pode até conduzir fora dessa zona, mas só poderá encerrar uma viagem no perímetro fixado. Por isso, fique atento e leia todas as regras para utilização.

Caso você prefira alugar um carro nos métodos convencionais e por período maior, veja nosso post sobre o assunto aqui.

Carsharing Lisboa. DriveNow, Emov Lisboa

Utilizamos os dois serviços e, numa opinião muitíssimo pessoal, podemos dizer que o luxo/desempenho dos carros é a única razão para pagar mais pela DriveNow. Por fim, é preciso dizer as empresas cobram pela abertura de cadastro. Verifique os preços.

Agora, a dica mais preciosa é: Lisboa é uma cidade (como outras) já sobrecarregada na circulação de carros e, portanto, onde estacionar pode ser um problema sério. Certifique-se de que seu destino oferece vagas (Bairro Alto, Chiado e outros nem pensar). Caso contrário, você perderá muito tempo tentando parar o carro e, nesse caso, tempo é dinheiro!

Carsharing Lisboa. DriveNow, Emov Lisboa

Fotos: O Inverso de Cabral